Tableless

Busca Menu

Entendendo o Web Design – Jeffrey Zeldman – An Event Apart Boston 2014

Seja o primeiro a comentar por

Estas são as minhas anotações da palestra do Jeffrey Zeldman no evento An Event Apart que aconteceu em Boston.

Em alguns momentos misturei inglês com português. Não foi para ficar chique, é que não é fácil anotar tudo o que é importante ao mesmo tempo que eu tento prestar atenção no que o cara tá falando. 😉

Se você não conhece o Jeffrey Zeldman, pegue uma corda e se enforque. Você não merece trabalhar nessa área. Mas ainda dá tempo. Visita o site dele. Este cara, e outro grupo de profissionais, se juntaram para mudar a web formando o WaSP. Não vou contar a história aqui, mas basicamente você deve sua vida a eles. 😉

Entendendo o Web Design

  • Quando alguém te pergunta: no que você trabalha? Você sabe dizer exatamente o que você faz? Isso é algo muito difícil de explicar e principalmente entender quando se trabalha com internet.
  • É muito difícil fazer bons designs quando não sabemos para quem e para o que estamos desenhando/produzindo.
  • O Clube de Diretores de Arte de Nova York é reconhecido por premiar designers influentes por anos. Pessoas de negócio e grandes designers prestam atenção nessas decisões por que o processo para selecionar os projetos é muito exaustivo. Mas apenas 2 de 20 juízes que julgam na categoria de “interação” construíram websites.
  • O Clube de Diretores de Arte decidiram que algo “é interativo se isso está na internet”. Mas isso é errado, já que em um website pode ganhar mesmo que a única coisa interativa seja um botão de play.
  • Muitos prêmios tratam o Web Design como algo posterior a sua campanha comercial. Nessa visão, web design é algo que não é bom o bastante como a TV.
  • Quem decide se o trabalho funciona não é você, mas os resultados do trabalho, o que chamamos de awards. E não estamos falando de dinheiro.
  • Vendas são medidas por efetividade. Prêmios são medidos por graciosidades.
  • Os clientes não sabem realmente o que eles querem e principalmente como o design pode ser interativo na internet.
  • Há uma competição ruim entre as áreas que fazem design. Umas enxergam umas as outras como descartáveis ou menos importantes. Veja quem faz algo para TV, impressos, web etc…
  • Eles acham que querem um comercial de TV, quando pensam em fazer interativo para internet.
  • As outras áreas que atuam com a marca e o design da empresa, entendem que elas devem controlar a área de internet. Isso é ruim. Elas não entendem exatamente o que é trabalhar com internet.
  • Cada área tem uma especialidade e nenhum conhece exatamente a base, a origem e o que move as outras áreas. É muito difícil alguém que faz web saber exatamente como fazer um bom comercial de TV. E o contrário também é verdadeiro.
  • Você é contratado para fazer web, por que você é especialista uma coisa que a pessoa que te contratou não conhece.
  • Mas isso pode ser também uma fraqueza. Nossos parceiros precisam entender nosso trabalho para que eles possam nos dar autonomia para fazer um trabalho melhor.
  • As tabelas foram um marco para fazer websites “interativos”.
  • Entender o negócio do cliente é mais importante do que o cliente deseja. Se você entende o negócio, você entende sua marca, se você entende sua marca, você consegue fazer algo que funcione.
  • O trabalho de David Siege’s era conhecido como a excelência em Web Design.
  • Tiffany Shlain
  • Quem está falando por nós? Quem está destacando nosso trabalho e explicando como isso é excelente e como funciona para as pessoas lá fora? Ninguém.
  • Nós formamos um círculo interno de profissionais que produzem web que se tornou algo bem ruim. Por que quem paga nosso salário não sabe o que é Responsive Design, por que não há um meio dele saber. As novidades ficam entre nós.
  • O W3C não pode ser essa pessoa porque ninguém entende o W3C, a não ser o próprio W3C.
  • As revistas especializadas e websites técnicos também só falam para profissionais e não para os clientes.
  • Nós precisamos de alguém para nos intermediar e fazer o elo entre clientes/consumidores e nós
  • Facebook é um microblog para o mundo inteiro.
  • Não é uma boa pergunta algo como: É melhor fazer um app com HTML5 ou Nativo?
  • A melhor pergunta é: o que os usuários procuram fazer nos smartphones? O que os usuários procuram fazer nos desktops? Como podemos melhorar a experiência dos usuários em cada uma das plataformas?
  • O facebook erro ao achar que ir para Mobile era um problema de tecnologia, mas na verdade era um problema de Design.
  • Quando o aplicativo mobile do Facebook foi movido do HTML5 para uma aplicação nativa, a imprensa focou no problema de implementação, dizendo que tecnologias web não são apropriadas para mobile. Em vez disso, a conversa deveria se focar em como deve se a experiência do usuário.
  • O que acontece quando muitos desenvolvedores, separados, trabalham em um mesmo produto, mas de forma dividida?
  • When companies harvest data to serve their advertises instead of their customers.
  • Não produza para browsers. “We don’t design for browsers. We design for people.”
  • Web Design serves design. We design for people.
  • Livro: designing with web standards – Jeffrey Zeldman
  • Web design is not book design, it is not poster design, it is not illustration.
  • Web Design is like architecture.
  • Web designs are like typefaces. Some impose a personality through their style on content. Others recede and let the style of content take over.
  • Web design is the creation of digital environments that facilitate and encourage human activity.
  • O segredo do design são os detalhes. São os detalhes que separam o bom web design do mal.
  • Layout serve o conteúdo.
  • A great website guides you subtly toward your heart’s desire.
  • Todos os dias que vamos aos trabalho é uma oportunidade para impressionar pessoas.
  • Nós somos estrategistas ou pessoas que esperam? Você pensa ou apenas segue ordens?
  • Don’t wait to be asked. Não espere perguntarem o que você faz. Se apresente, converse, mostre o que é exatamente Web Design.
  • Arrive early and often.
  • Push your way in. Volunteer.
  • Achieve the right things for wrong reasons.
  • Google é o maior usuário cego que o mundo tem. Por isso web standards importa. Ele é seu cliente. Se você não faz para websites acessíveis, você está perdendo o Google.
  • Marcação semântica apenas se tornou importante por causa da otimização para buscadores. Clientes e chefes não estão interessados em economizar dinheiro com banda.
  • Your job is to find the reasons that people will care about.
  • We are all evangelists.
  • Nós precisamos de embaixadores do web design.
Publicado no dia