Tableless

Busca Menu

5 dicas para jogar dinheiro no lixo com email marketing

Seja o primeiro a comentar por

Todo mundo pelo menos imagina que o serviço mais utilizado na Internet – e provavelmente o mais “fundamental” de todos – é o e-mail. É claro que muitos outros serviços vem crescendo e há um determinado nicho que só se comunica por facechat, mas eles ficam adultos e passam a usar o e-mail, é natural.

Mas se engana quem pensa que e-mails são utilizados para assuntos tão essenciais quanto a importância do serviço. Dados recentes de uma pesquisa do Pigdom mostram que, dos 144 bilhões do tráfego de e-mails diários(!) em todo o mundo no ano de 2012, 61% deles foi considerado “não essencial” (encaixe aqui os PPTs da sua tia, correntes, SPAM, golpes, piadas e aquele porn que você assina). Pior ainda, quase 70% dos e-mails foi classificado como SPAM. Isso mesmo, 7 em cada 10 emails que cada uma das 2,2 bilhões de contas de e-mails existentes em 2012 eram mensagens não solicitadas.

Isso é um problema recorrente, porque as pessoas encaram o e-mail como uma “mala direta grátis” e abusam, mas abusam mesmo. Só que não consideram que não existe isso de grátis. Tudo tem custo e – veja só – você pode estar pensando nesse exato momento que está jogando o seu dinheiro na lata do lixo, fazendo disparo de e-mail marketing.

Compre listas de e-mails

Essa é uma ótima forma de jogar dinheiro no lixo. Você encontra listas de e-mails enormes vendidas em qualquer canto, até na rua, em bancas de CD pirata. Ao comprar uma lista de e-mails, você adquire endereços de todo o tipo, até mesmo os “webmaster” e “root” da vida, coletados muitas vezes de forma automática na Internet mesmo. Além disso, contas antigas – que sempre estão presentes nessas listagens – são utilizadas como “armadilhas” de instituições anti-SPAM para identificar e punir quem faz esse tipo de propaganda. Ao disparar mensagens para essas listas, boa parte dos e-mails simplesmente não será entregue, além de haver uma chance muito alta de seu e-mail e seu servidor serem bloqueados em blacklists internacionais.

Dispare o máximo de e-mails que puder

Esse negócio de segmentação é pura bobagem! Se a taxa de abertura é baixíssima, quanto mais e-mails você disparar, maior o número de pessoas impactadas. Envie 3 vezes por dia, pra garantir, para as mesmas pessoas. Vai que em um dos disparos sua mensagem vai parar na inbox, certo? Errado. Quanto mais disparos, maior a chance de bloqueio por SPAM. Mesmo tendo uma lista legítima, a frequência alta também pode irritar o usuário, que marca os e-mails como indevidos e colabora com seu bloqueio. Parabéns, campeão, dinheiro jogado fora.

Use “pegadinhas” no título da mensagem

Essa é uma dica fantástica para aquele seu e-mail que tem taxa de abertura baixa. Use umas pegadinhas nos assuntos do e-mail. Colocar “Re:” ou “Fw:” no início da mensagem, por exemplo, para que o usuário pense que é uma mensagem respondida ou encaminhada. Ou quem sabe usar títulos como “Me desculpe” ou “Você ficou sabendo disso?”, pra atiçar a curiosidade. Ah! Tem também aquela “Segue o orçamento solicitado”. Essa é batata! Você pode também tentar colocar caracteres especiais, como aviõezinhos ou setinhas. Quem sabe chama a atenção do usuário, não? Claro, vai chamar atenção também dos detectores de lixo e provocar o usuário a clicar no botãozinho que delata os engraçadinhos. Eu faço isso direto.

Visual é tudo. Faça fotos grandes e bonitas

Ignore que boa parte dos usuários acessa os e-mails do celular ou de webmails, que possuem uma área de leitura limitada. Apenas envie lindas imagens de seu produto, o seu logotipo bem grande e esqueça esse negócio de enviar texto. Texto é ruim, cai nos algoritmos dos anti-SPAM, mande apenas imagens enormes e mostre como você entende de e-mail marketing e sabe mesmo como torrar o seu orçamento.

Não perca seu assinante. Esconda o unsubscribe

Essa é sensacional. Eu já recebi diversos e-mails não solicitados que simplesmente não possuíam o link de descadastro. Cliquei no botãozinho de SPAM, óbvio. O que eu poderia fazer, não é? Quanto mais escondido está o seu link de descadastro, qual pior a explicação de onde o usuário pode controlar seu próprio e-mail, maior a coceira no dedo que leva o mouse até o botão de SPAM.

Seguindo corretamente essas dicas, o seu budget será muito bem empregado. Ele alimentará empresas picaretas de e-mail marketing que apresentam relatórios mentirosos sobre a entrega de suas mensagens. Sim, a maioria mente. O dia em que você tratar de gerenciar internamente o seu e-mail marketing (super aconselhado para listas grandes e legítimas), você perceberá o quanto foi enganado esse tempo todo com taxas de abertura altíssimas, entregas de quase 100% e cliques que desafiam seu Analytics, afinal, o Google mente ;-).

Tem mais dicas? Manda aí nos comentários.

Publicado no dia