Tableless

Busca Menu

Trabalhe ao lado de gente boa (e seja a gente boa)

Seja o primeiro a comentar por

Comecei na área de Desenvolvimento um pouco atrasado comparado aos meus companheiros de serviço. Claro que já estou envolvido com informática há muito mais tempo do que desenvolvo para a Web, porém, trabalhava com a área de infraestrutura. Hoje, depois de algum tempo de experiência em grandes empresas, startups e equipes de freelancers, posso contar um pouco do que aprendi e deixar uma dica para quem quer crescer profissionalmente: Trabalhe ao lado de gente boa!

Conheci a programação de fato aos 19 anos com um bom programador PHP. Esse cara me deu poucas dicas, mas dicas muito valiosas. Com o passar do tempo, conheci muita gente na internet (inclusive aqui no Tableless), e estas pessoas me deram muito mais dicas, e dicas excelentes. Eu não parti para uma vaga como desenvolvedor logo de início: passei alguns anos trabalhando com infraestrutura, mas com aquela vontade de ser programador, sempre buscando referências e conhecendo cada vez mais “gente boa”.

Pessoas “gente boa” vão cobrar que você trabalhe bem. Eles vão te cobrar um código limpo, de fácil manutenção (e não é porque são preguiçosos, mas porque isso é essencialmente bom), código escalável, boa lógica de programação e muito mais. Você vai “apanhar” de gente boa. Eles vão cobrar o tempo todo para que seu foco seja o mesmo que o deles: desenvolver seguindo boas práticas e pensando fora da caixa, fora da CPU desta máquina que você bate no teclado digitando códigos em disparada às vezes sem foco (no caso, você).

Aprendi muita coisa desde que entrei em um novo emprego este ano, cheio de bons profissionais ao meu redor. Isso está me fazendo evoluir muito e foi o que me motivou a escrever sobre. E sim, ainda estou apanhando bastante, mas resolvi escrever para tentar lhe convencer a buscar algo melhor como profissional.

Mas será que esta experiência só acontece quando trabalhamos ao lado de grandes equipes e equipes boas? E se trabalhamos sozinhos, com pouca gente, ou mesmo com equipes que não tem esse mesmo foco, o que fazer? Você deve buscar o seu melhor e cobrar-se por isso. Não é porque determinada pessoa trabalha mal na empresa que você irá espelhar-se nela e estagnar. Não é ela quem vai determinar o seu futuro.

Caso não consiga obter um bom resultado policiando-se, procure alguém que possa avaliar seu desempenho em alguma ferramenta externa, seja um amigo do Facebook/Twitter, ou uma galera no Github, e quando você se sentir bem é hora de começar a fazer sua parte e ajudar outras pessoas. Você será a “gente boa” que busca fazer o serviço do outro ser bom como o seu. Se esse ciclo continuar, garanto que você não vai se arrepender.

Compartilhe experiências, ajude quem tem dúvida. Aprendemos muito mais ajudando o próximo do que fechados em nosso “mundinho”. Grande parte do conteúdo pelo qual você estudou foi escrito por gente boa que queria ajudar, seja em blogs, revistas, etc. Pense nisso: gente boa é gente que faz a diferença.

Publicado no dia