Tableless

Busca Menu

JavaScript: Dicas de bolso – parte 1

Seja o primeiro a comentar por

 JavaScript e suas pegadinhas

JavaScript é uma linguagem bem legal mas cheia de pegadinhas. A idéia desse post é documentar alguma dessas pegadinhas, para que possamos evitar dores de cabeça principalmente à galera que ainda não se deparou com alguma delas.

Guarde o tamanho do array

No JavaScript temos nossos brothers loops for, que conseguem iterar em arrays ou também em objetos semelhantes a arrays. Semelhantes? Como assim!? Por exemplo os objetos arguments e HTMLCollection. Provavelmente você já deve ter se deparado com um loop for (já deve ter escrito alguns):

for(var i = 0; i < arrayFabeni.length; i++) {
    // magic
}

De bate pronto, conseguimos perceber algo não tão bacana no código acima. O comprimento (length) do array é acessado em toda iteração do loop. Isso não fica tão legal quando por exemplo, o objeto é um HTMLCollection. Lembra o que são esses caras? Eles que são retornados quando a gente chama:

  • getElementsByName()
  • getElementsByClassName()
  • getElementsByTagName()

Tá! Legal! Mas eaí né?! A zica mesmo é que toda vez que a gente itera sobre esses caras significa que estamos consultando o nosso DOM ao vivo e a cores, e a *toda hora*, o que não é nada bacana.

Com base nisso, uma solução que podemos chegar seria guardarmos o comprimento do array; algo parecido com isso:

for(var i = 0, max = arrayFabeni.length;  i < max; i++) {
    // magic
}

O que fizemos acima foi armazenar o valor da propriedade length, evitando assim ter que calculá-la a cada iteração do loop.

Verifique se a propriedade pertence àquele objeto

Além do nosso amigo do exemplo anterior, no JavaScript temos o loop for-in que usamos pra iterar em objetos. Uma coisa bacana de se fazer e que pode evitar que algo que você não queira aconteça, é usar o método hasOwnProperty(). Esse método simplesmente vai filtrar apenas as propriedades do objeto em si, excluindo as propriedades herdadas pelo prototype.

Um exemplo rápido:

var burger = {
    queijo: 'cheddar',
    pao: 'integral',
    hamburguer: 'picanha',
    molho: 'barbecue'
};

Aí em uma parte obscura, aparece algo que adiciona uma propriedade a todos os objetos.

if(!Object.prototype.feijao) {
  Object.prototype.feijao = 'preto';
}

O que aconteceu acima foi que verificamos se existe a propriedade feijao em Object e, caso ela não exista definimos ela com o valor preto. Aí que está o negócio da coisa do JavaScript, nosso objeto burger, já herda a propriedade feijao via prototype.

Com isso, para evitarmos que feijao apareça quando listarmos as propriedades de burger (até porque feijão, na minha opinião, não combina muito com hamburguer), fazemos o seguinte:

for(var i in burger) {
  if(burger.hasOwnProperty(i)) {
     console.log(i + ' => ' + burger[i]);
  }
}

// Resultará no seguinte:
// queijo => cheddar
// pao => integral
// hamburguer => picanha
// molho => barbecue

Do contrário, caso não fizéssemos essa verificação, teríamos algo assim:

for(var i in burger) {
    console.log(i + ' => ' + burger[i]);
}

// Resultará no seguinte:
// queijo => cheddar
// pao => integral
// hamburguer => picanha
// molho => barbecue
// feijao => preto

Era isso! Dicas rápidas sobre a linguagem, que para alguns podem ser básicas, mas que muita gente ainda pode não conhecer e, que podem evitar alguns problemas no futuro.

Referências
Learning JavaScript | JavaScript: The Good Parts | JavaScript: Pocket Reference | JavaScript Patterns

Publicado no dia