Você conhece o Google Hacking?

O Google Hacking nada mais é que uma prática para encontrar aquivos e/ou falhas a partir do GoogleEntão vamos entender e conhece-lo na prática!

por Julio Carneiro 20/08/2017 Comentários

Hoje decidi trazer pra vocês algo que não é novidade, porém é bem interessante para quem trabalha com web, vamos falar hoje sobre Google Hacking!

Antes de tudo, lembre-se: você não tem o direito de invadir a privacidade de ninguém! O que estou fazendo aqui é para deixar desenvolvedores cientes de falhas que são ridiculamente fáceis de serem exploradas e ridiculamente fáceis de serem corrigidas também!

Bora falar de Google

O Google utiliza uma tecnologia chamada spiders, ou webcrawlers que são robôs que fazem a varredura na web buscando e** indexando as páginas**. Quando fazemos uma busca pela ferramenta ela procura por este termo nestas páginas indexadas nos retornando o que estamos procurando de fato, cada resultado retornado é composto por um titulo, uma url e uma descrição.

Um servidor mal configurado pode expor informações da empresa no Google. Não é difícil conseguir acesso a arquivos de base de dados através do Google.

O Google Hacking nada mais é que uma prática para encontrar aquivos e/ou falhas a partir do Google, usando ele como uma espécie de scanner, dando comandos e possibilitando manipular buscas avançadas por strings chamadas de “dorks” ou “operadores de pesquisa”.

Conhecendo as dorks:

Com a composição de dorks nós podemos retornar domínios específicos, títulos, palavras, arquivos, e algumas outras coisas que vamos ver a seguir:

site:” — Busca em um site específico

site:exemplo.com.br

intitle:” — Busca por título de páginas

intitle:"< Fazer login"

inurl:” — Busca de termos presentes na url

inurl:/wp-admin

intext:” — Busca por texto no conteúdo do site

intext:adminpass

filetype:” — Busca por formato de arquivos (.jpg,.zip,.txt)

filetype:.txt

-termo” — O “-” exclui o termo da pesquisa

2015…2017” — Retorna resultados entre as datas estipuladas

Estes são só alguns operadores, com uma básica pesquisa sobre o assunto em algum buscador você consegue uma lista mais extensa, a minha ideia é alertar e não me aprofundar no assunto, é ensinar como funciona e não te tornar um especialista.

Construindo uma dork

Então com esses dados já conseguimos construir algumas dorks simples para iniciar os estudos em nossos domínios e achar possíveis falhas na indexação do nosso site.

Eu preciso de uma dork que me traga arquivos php da área de login do phpmyadmin do meu site, como será que eu poderia fazer? Veja:

Simples não? Podemos adaptar conforme nossa necessidade, e caso acharmos alguma brecha de segurança, caso o google esteja mostrando algo que ele não devia estar, podemos corrigir essa falha de um jeito muito simples, veja:

Caso ainda não tenha, crie um arquivo “robots.txt” na pasta raiz do seu site e vamos escrever uma regra para poder tirar a pasta “/exemplo” da indexação geral:

    User-agent: * 
    Disallow: /exemplo/

Onde o User-agent são os mecanismos de busca, neste caso todos eles.
Disallow vc está desativando a pasta “/exemplo”.

  • NÃO bloqueie no robots.txt até que as páginas indexadas sejam removidas;
    - Adicione a meta tag abaixo em todas as páginas que desejar remover:
<meta name="robots" content="noindex" />

Outro método simples de fazer isso é usando o htpaswd do .htaccess, nele você pode limitar por IP (que pode ser manipulável e não muito seguro) ou com senhas (recomendável).

Wordpress

Fiz uma pequena pesquisa na web pois não uso Wordpress a algum tempo e o plugin que eu usava não existe mais. Segundo o HostGator os 5 melhores plugins de segurança para para usarmos no Wordpress são:

  1. WP Security Scan: escaneia seu site em busca de vulnerabilidades. Caso encontre alguma, sugere ações corretivas. Entre as ações, destaque para segurança das senhas, permissões de arquivos, banco de dados e área administrativa, entre outras ações de proteção.
  2. Login LockDown: analisa e registra os endereços de IP que tentam fazer login no seu site, mas que por alguma razão falham. Caso registre um determinado número de falhas no login, o plugin bloqueia a caixa de login para o usuário por um tempo determinado.
    O plug-in é uma alternativa para ajudar a proteger seu site contra ataques forçados.
  3. Captcha on Login: adiciona um captcha na página de login, criando uma camada a mais de segurança no acesso à área administrativa do site. O plugin bloqueia IPs determinados após um determinado número de tentativas frustradas de login.
    O sistema também permite mudar o nome do usuário padrão do administrador, garantindo mais segurança para seu site ou blog.
  4. Wordfence Security: mostra se algum arquivo do blog foi alterado, além de enviar um e-mail quando algum plugin está com atualização pendente, ou há alguma tentativa de acesso a seu blog por pessoas não autorizadas.
    O plug-in varre o conteúdo do WordPress, além dos temas e demais plugins, em busca de alguma adulteração ou bug, ajudando a manter o WordPress livre de ameaças.
  5. AntiVirus: o plugin procura por injeções maliciosas e possíveis ataques ao seu site ou blog, assim como procura por worms e malwares.

Estes pugins prometem resolver a maioria dos problemas de segurança que temos com o Wordpress.

Bancos de dados de Dorks

São sites em que podemos encontrar uma variedade de Dorks para explorar vulnerabilidades dos nossos sites e ver como pessoas maliciosas agem na prática.

Exploit-db

O Exploit-db creio eu que seja o site referência entre os hackers do mundo todo, além disso ele tem uma área dedicada somente ao Google Hacking com milhares de Dorks para explorarmos:

https://www.exploit-db.com/google-hacking-database

InurlBR

Outro site muito legal (e nacional) com um banco de dados gigante de **Dorks **é o InurlBR, lá tembém podemos encontrar ferramentas desenvolvidas por eles em php para busca de Dorks automatizadas, vale a pena dar uma olhada:

Imaginamos que o cara que quer fazer merda na internet tem bastante tempo pra gastar com isso, então temos que pensar a frente e tapar todos os buracos para não cair na de programadores pilantras e maliciosos.

Espero que tenham curtido o artigo e que eu possa ter ajudado de alguma forma, feedbacks positivos são sempre bem vindos! Abraços até o próximo post.


Este artigo foi escrito e publicado primeiramente no Canal do Tableless lá no Medium!