Tableless

Busca Menu

Champfrogs: 10 desejos intrínsecos

Seja o primeiro a comentar por

Como eu não quero que você seja um desenvolvedor robô, que só executa funções predeterminadas, sem pensar nos processos e nas metas da empresa onde trabalha, quero começar a abordar alguns posts sobre um assunto que não está diretamente ligado à prática de desenvolvimento web: gestão agile. Seria interessante fazer alguns devs entenderem melhor como as coisas funcionam em ambientes onde equipes e empresas aplicam métodos ágeis para gerir os projetos e pessoas.

Um dos segredos é: entenda que cada ser humano tem desejos. Estes desejos podem ser parecidos com o seu, o que torna mais fácil de entender a outra pessoa, ou não, o desejo do próximo pode ser muito diferente do seu. Quando você conhece os desejos de cada um dos integrantes do time, você gerencia melhor as expectativas. Inclusive as suas. Se você não é gestor, mas deixa claro qual o seu desejo, você facilita o caminho do gestor para suprir suas expectativas. Entende? Tudo flui muito melhor.

Existem várias formas de categorizar os desejos das pessoas. Você já deve ter ouvido falar da Pirâmide de Maslow, que é bem conhecida. A que vamos citar aqui é bastante nova e chama-se Champfrogs. Ele é uma adaptação de uma outra categorização que inclui 16 desejos. Mas aí abrange muitos outros assuntos. Vamos ficar com os 10 para iniciar. Champfrogs é um acrônimo formado pelas iniciais das palavras:

  • Curiosity: Eu tenho a vontade de investigar algo e pensar sobre o assunto.
  • Honor: Eu sinto orgulho de como minhas características pessoais são refletidas no trabalho que executo.
  • Acceptance: As pessoas da minha equipe ou da empresa aprovam o que eu faço e quem eu sou.
  • Mastery: Meu trabalho desafia minha competência, mas ainda está dentro das minhas habilidades.
  • Power: Gosto de influenciar o que acontece no trabalho e as pessoas que estão a minha volta.
  • Freedom: Eu sou independente no meu trabalho e nas minhas responsabilidades.
  • Relatedness: Tenho bons contatos sociais em meu ambiente de trabalho.
  • Order: Gosto de regras e políticas que estabilizam o ambiente onde trabalho.
  • Goal: Minha proposta de vida é refletida no trabalho que faço.
  • Status: Minha posição é boa e tenho reconhecimento das pessoas que trabalham comigo.

Estes são alguns dos desejos ou motivações que você e cada integrante da equipe podem ter. É importante conhecê-los e identificá-los de forma que sejam trabalhados para o bem.

Por que conhecer seus desejos?

Para você saber o que quer da vida, basicamente. Se você precisa de regras mas você trabalha em um lugar que é uma zona, por que continuar trabalhando ali? Se você trabalha em um lugar cujo seu trabalho não te dá orgulho, por qualquer motivo que seja, não é melhor tentar consertar o que está errado ou sair e encontrar outro trampo?

Eu sei que talvez eu esteja sendo muito prático ao dizer “saia desse emprego e encontre outro”, mas talvez essa seja a solução. Ao meu ver há duas maneiras de consertar algo que está errado em seu trabalho: ou você abre as cartas com o time e com o gestor contando sua insatisfação e iniciando um processo de comunicação que pode culminar na resolução do problema ou pega suas coisas cai fora. Não tem mágica. Se você continuar no seu trabalho, fazendo e vendo sempre as mesmas coisas erradas, isso vai te consumir cada vez mais. Você vai ficar doente, acredite. Sem contar que você estará sendo o maior mão na bunda que já existiu. Sabe que está errado, poderia ajudar a consertar, mas prefere ficar ali, parado, sentado em cima das próprias mãos.

Como descobrir as motivações da equipe?

Tem um exercício muito legal chamado Moving Motivators. Esse jogo é interessante para descobrir como estão as motivações dos membros da equipe. Isso te dará um parâmetro melhor sobre o que cada pessoa precisa ou busca. Funciona assim:

Para fazer esse exercício, baixe as cartas do jogo aqui. São cartas com as motivações que listamos acima.

Segundo: Do menos importante para o mais importante

Neste passo o participante irá organizar as cartas ordenando as suas motivações do menos importante para o mais importante.

moving-motivators1

Você vai perceber que membros da equipe tem resultados totalmente diferentes. O que pode ser muito confuso inicialmente. Isso faz você perceber que cada individuo precisa de um “ambiente ideal”, muito diferente do outro membro. Às vezes uma das motivações mais importantes para um membro é a motivação menos importante para outro. Como manter um ambiente estável sabendo dessa informação? Eis a questão.

Terceiro: Como o trabalho afeta as motivações

Agora, mantendo a mesma ordem das cartas, o integrante vai movimentar para cima ou para baixo as desejos/motivações que são mais ou menos afetados quando relacionados ao ambiente de trabalho.

moving-motivators1

Por exemplo: se você acha que seu trabalho não instiga sua curiosidade, sua vontade de pesquisa para aprender novas coisas e etc, mova CURIOSITY para baixo. Mas se você acha que o seu trabalho aumenta sua liberdade, te dando mais autonomia, mova FREEDOM para cima.

Quarto: reflita

Eu sei que esse exercício pode ser muito mais interessante para o gestor do que para os integrantes do time. Mas para ambos mostra um parâmetro interessante sobre o ambiente de trabalho e como nos sentimos nele.

Quando há muitos desejos se movendo para baixo, percebemos que é hora de fazer alguma coisa para melhorar estes pontos.
Um dos maiores desafios atualmente no mercado de desenvolvimento web é o de reter talentos. Sempre há alguém que paga mais ou que tem um ambiente de trabalho melhor e mais desafiador. Fazer os desenvolvedores ficarem aonde estão é um desafio enorme. Esse exercício ajuda a entender melhor como o time enxerga o ambiente do seu trabalho. Fica mais fácil reter se você entende a pessoa por trás do dev.

Você como membro de time, também enxerga melhor como o ambiente em que você trabalha pode te motivar ou desmotivar. Talvez você esteja desmotivado e nem saiba. Talvez você esteja com uma oportunidade de ouro e não tenha percebido ainda. Exercícios assim vão te ajudar nessa orientação.

Concluindo

Foi um dos primeiros artigos sobre gestão ágil aqui no Tableless. Talvez venham mais se vocês gostarem. Deixe seu comentário aí embaixo sobre suas experiências e se vale ou não a pena trazermos em pauta esses assuntos.

Referências:

Publicado no dia