Tableless

Busca Menu

JAVA – Tipos de dados

Seja o primeiro a comentar por

No Java, existem algumas palavras reservadas para a representação dos tipos de dados básicos que precisam ser manipulados para a construção de programas. Estes tipos de dados são conhecidos como tipos primitivos.

Pode-se dividir os tipos primitivos suportados pelo Java em função da natureza de seu conteúdo. Há quatro tipos primitivos para a representação de números inteiros, dois tipos primitivos para a representação de números fracionários, um tipo primitivo para representação de caracteres e um tipo primitivo para representação dos valores booleanos.

Existem milhares de classes disponíveis na API do Java e todas são tipos de dados, porém uma classe pode armazenar diversos dados ao mesmo tempo em seus atributos, e realizar tarefas através de seus métodos. Um tipo primitivo por outro lado, só armazena um único dado e não contém quaisquer métodos para realizar tarefas.

Já para representar textos o Java não possui um tipo primitivo, ele possui uma classe chamada String, que serve para esse propósito, essa classe pode ser usada de modo semelhante a um tipo primitivo e ainda conta com diversos métodos disponíveis nessa classe para realizar diversas operações com o dado armazenado.

Também existem classes para representar cada um dos tipos primitivos. Sempre que for preciso realizar uma operação mais complexa com algum dado, você poderá armazená-la em um objeto da classe correspondente ao invés de utilizar um tipo primitivo. Assim, poderá fazer uso dos métodos disponíveis nessa classe para realizar diversas operações com o dado armazenado.

DADOS NUMÉRICOS

Tipos Inteiros:

Tipo Memória consumida Valor Mínimo Valor Máximo
byte 1 byte -128 127
short 2 byte -32.768 32.767
int 4 bytes -2.147.483.648 2.147.483.647
long 8 bytes -9.223.372.036.854.775.808 9.223.372.036.854.775.807

Obs: A declaração de um número inteiro longo deve ser feita utilizando-se a letra L como sufixo. 

 

Números que podem conter partes fracionárias podem ser representados por dois tipos:

Tipo Memória Consumida Valor mínimo Valor máximo Precisão
float 4 bytes -3,4028E + 38 3,4028E + 38 6 – 7 dígitos
double 8 bytes -1,7976E + 308 1,7976E + 308 15 dígitos

Apesar de o tipo float ocupar metade da memória consumida por um tipo double, ele é menos utilizado. Ele sofre de uma limitação que compromete seu uso em determinadas situações: somente mantém uma precisão decimal entre 6 e 7 dígitos.

Obs: A declaração de um número como um float, deve ser feito utilizando a letra F como sufixo. 

DADOS TEXTUAIS

É possível representar dois tipos de elementos textuais em Java: caracteres e textos. A representação de um caractere solitário é feita pelo tipo char e a representação de textos é feita pela classe String.

Enquanto o tipo de char representa apenas um caractere, a representação de textos deverá ser feita pela classe String. Essa classe pode ser utilizada de forma similar aos tipos primitivos, mais os valores literais desse tipo são transcritos entre aspas e não entre apóstrofos.

DADOS LÓGICOS

O tipo lógico é representado, em Java, pelo tipo booleano. Este tipo pode armazenar um de dois valores possíveis: true ou false. Ele é empregado para realizar testes lógicos em conjunto com operadores relacionais e dentro de estruturas de decisão e repetição. O tipo boolean do Java equivale ao tipo boolean do Pascal.

VARIÁVEIS

Uma variável representa a unidade básica de armazenamento temporário de dados e compõe-se de um tipo, um identificador e um escopo. Seu objetivo é armazenar um dado de determinado tipo primitivo para que possa ser recuperado e aplicado em operações posteriores.

Para compreender como funciona o uso de variáveis é preciso analisar como elas são criadas, de que modo recebem e armazenam dados e como estes são recuperados. Também é importante entender onde elas podem ser declaradas e onde podem ser utilizadas, tendo em vista seu escopo.

CONSTANTES

As constantes são unidades básicas de armazenamento de dados que não devem sofrer alterações ao longo da execução do aplicativo. O uso de constantes é menos frequente que o uso de variáveis. No entanto, há situações em que elas são requeridas e, por isso, é indispensável entender o que são, para que servem e como podem ser utilizadas.

A declaração de uma constante contém apenas um elemento a mais que a declaração de uma variável: a palavra reservada final. Assim como as variáveis, as constantes compõem-se de um tipo, um identificador e um escopo. Veja a sintaxe que determina como declarar e inicializar uma constante:

final < tipo > < identificador > = < valor >;

Mas enquanto a declaração e a inicialização de variáveis podem ser feitas em instruções distintas, toda constante deve ser declarada e inicializada em uma única instrução e, depois disso, não lhe pode ser atribuído outro valor.

Além de tudo que foi dito sobre constantes, é importante observar uma convenção no momento de declará-las: devem ser utilizadas somente letras maiúsculas para seu identificador. A aderência a essa convenção torna o código-fonte muito mais legível, facilitando a distinção entre variáveis e constantes.

Publicado no dia