jQuery é bom para designers

No começo da web JavaScript era considerado uma linguagem de programação completamente difícil e inútil. Afinal, depois de uma semana estudando a linguagem, o sujeito só conseguia escrever um script que validasse um formulário de contato que muitas vezes dava erro em outros browsers que não o Internet Explorer. Isso acontecia porque tanto o Netscape quanto o Browser azul tinha seus prórpios padrões de implementações de solução para o Javascript que era ainda estava engatinhando como linguagem.

por Michael Granados 05/08/2008

No começo da web JavaScript era considerado uma linguagem de programação completamente difícil e inútil. Afinal, depois de uma semana estudando a linguagem, o sujeito só conseguia escrever um script que validasse um formulário de contato que muitas vezes dava erro em outros browsers que não o Internet Explorer. Isso acontecia porque tanto o Netscape quanto o Browser azul tinha seus prórpios padrões de implementações de solução para o Javascript que era ainda estava engatinhando como linguagem.

Dessa forma, muitos códigos proprietários solucionavam problemas em determinado browser, que faziam o programador javascript (sim, isso já foi cargo) fazer muita volta para solucionar em outro browser. Isso acarretava em problemas imensos em manutenção. O cliente, em um belo domingo de sol ligava e dizia que o formulário estava “pulando”, muitas vezes acompanhado de um não sei nem o que é browser/navegador: “eu dou dois cliques no ícone da internet e entro”. Então lá ia o programador e precisava revisar dois, três códigos que faziam a mesma coisa em navegadores diferentes.

Ainda bem que, assim como o HTML e o CSS, o JavaScript também sofreu sua padronização, facilitando a criação de scripts que facilitam muito a vida do designer, deixando o designer cada vez mais feliz sem precisar consultar um programador. Uma dessas soluções foi a biblioteca jQuery. Uma biblioteca tão simples que designers conseguem fazer ótimos efeitos com apenas algumas linhas de comando.

Vamos a um exemplo/tutorial prático: um menu com submenus. Quando a pessoa clicar no link o submenu deve aparecer, com um efeito de slide.

Para o html usamos uma marcação simples, indicando quem é o menu e quem é o submenu.


Para ativar o jQuery você precisa baixá-la do site oficial (é apenas um aquivo js pequenininho) e coloque-a de preferencia na pasta ou em uma subpasta de onde está seu aquivo html, precisamos colocar a seguinte linha (de preferencia entre as tags e ):

<script type="text/javascript" src="pasta/onde/está/a/jquery.js"></script>

Após a inclusão da jQuery podemos usá-la sem problemas. Coloque seu código entre as tags