Safari 4 Beta

O Safari é bastante conhecido por ser ainda um browser bastante cru. Mas sua versão 4 veio para mudar esse cenário. Mudar para a melhor.

por Diego Eis 25/02/2009

O Safari é o quarto browser mais utilizado segundo o The Counter, com 4%, logo atrás do Firefox com 17%.

O beta da sua versão 4 acabou de ser lançado e tem uma série de modificações visuais e outras novidades.

Na sua versão beta, foram adicionados algumas características interessantes para a utilização da navegação do usuário. A Apple diz que são 150 novidades na versão 4 beta. Dê uma olhada aqui na lista completa.

Vou comentar rapidamente as que me chamaram mais a atenção.

Mudanças visuais

Houve uma série de mudanças visuais que além de impressionar, ajudam bastante na experiência de navegação. As abas por exemplo, foram colocadas no topo da página, como o Chrome. Isso facilita e aumenta a área útil do browser.

abas

A interface do Safari no Windows segue o mesmo padrão do sistema. Em vez de carregar uma interface própria, que faz com que o programa se torne mais pesado, o pessoal da Apple resolveu fazer com que o Safari tenha o visual nativo do Windows.

Uma característica que, pelo que eu me lembre, apareceu primeiro no Opera e depois no Firefox, foi agora adotado também pelo Safari que é a Full-Page Zoom. Quando o usuário tem dificuldades para ler o texto no browser, antigamente os browsers aumentavam o tamanho da Fonte do texto. Agora, com o Full-Page Zoom, o browser dá um Zoom na pagina inteira, como se fosse um zoom no Flash. É mais interessante porque mantem o design do site intacto e resolve o problema do usuário.

Foi adicionado também proteção contra Pishing e Malware, autocompletar inteligente no campo de endereço e busca.

Desenvolvimento Web

O pessoal do Safari também implementou uma série de novidades para nós, desenvolvedores. Infelizmente, muitas coisas não poderemos utilizar por conta da falta de suporte idêntico de outros navegadores. Mesmo assim, já sabemos que o Safari está com uma série de boas intenções para ajudar a comunidade e facilitar o desenvolvimento para web.

O pessoal que desenvolveu o Safari, ainda continua levando a sério aquela história de suportar a próxima geração de padrões. Ou seja, o Safari é um dos únicos a suportar, por exemplo, HTML 5 media tags e CSS Animation.

Ele também suporta agora CSS 3 Web Fonts, isso significa que você, designer, não está mais amarrado com meia dúzia de fontes.

overlay-devtools-2-20090224

Sobre HTML5, o Safari agora suporta as características de Offline Support e MediaTags. Sem contar que ele passou no teste Acid 3.

Ele também está renderizando mais rapidamente scripts em Javascript. A Apple diz que a renderização do Javascript ficou 6 vezes mais rápida que o IE8 e 4 vezes mais rápida que o FF3. Alguém quer fazer o teste?

Ele ganhou também um Inspetor de código decente. Um ponto contra é que não é possível editar a página por esse Web Inspector como fazemos com o Firebug. Mesmo assim, ele é muito completo, dá para substituir a Firebug.

webinspector

Eles inseriram uma série de outras novidades para que possamos controlar erros e fazer testes na hora do desenvolvimento. Realmente é um kit completo (ou quase) de desenvolvimento web. Para ver o resto das características, veja a lista completa aqui!

Se você quer saber mais detalhes sobre a compatibilidade de CSS do Safari e outros detalhes importantes, a Apple mantém uma página de apoio ao desenvolvedor web. Lá você encontra uma série de materiais interessantes sobre o desenvolvimento para Safari e informações sobre o WebKit.

O resto das mudanças são coisas que fazem o Safari se aproximar mais do Firefox e Internet Explorer. Mesmo assim, ainda acho que a Apple faz pouca “propaganda” do seu browser. Ele é muito conhecido no mundo Mac, mas ainda é um anônimo no mundo Windows!

Aos poucos o Safari ganha corpo e conquista sua fatia do mercado. A briga vai ser silênciosa como eu sempre digo, mas muito concorrida. Mais do que nunca os browsers estão entendendo a receita de conquistar os usuários e os desenvolvedores. Ponto para o Safari, mas ainda há um grande caminho para percorrer.