Tableless

Busca Menu

Sass vs. LESS vs. Stylus: Batalha dos Pré-processadores

Seja o primeiro a comentar por

Introdução

Pré-processadores CSS3 são linguagens criadas com um único propósito de adicionar funcionalidades legais e criativas para o CSS sem quebrar a compatibilidade entre browsers. Os pré-processadores disponibilizam milhares de funcionalidades, e nesse artigo iremos falar sobre as mais utilizadas e conhecidas e algumas nem tanto conhecidas. Vamos começar:

Sintaxe

A parte mais importante ao escrever códigos utilizando um pré-processador é entender a sua sintaxe. Felizmente para nós, a sintaxe é (ou pode ser) idêntica à do CSS puro para os três pré-processadores.

Sass e LESS

Ambos utilizam o a sintaxe padrão do CSS. Isso faz com que seja extremamente fácil converter um arquivo CSS já existente para qualquer um deles. Sass utiliza arquivos com extensão .scss e LESS com extensão .less. Uma configuração básica de um arquivo Sass ou LESS pode ser como abaixo:

/* style.scss ou style.less */
h1 {
	color: #0982c1;
}

Como você pode ter notado, isso é apenas CSS puro, que compila perfeitamente em ambos pré-processadores (Sass e LESS).

É importante notar que Sass também tem uma sintaxe mais antiga, que omite ponto e vírgula e as chaves. Ainda pode ser usado, mas como é uma sintaxe antiga, não iremos utilizá-la depois deste exemplo. A sintaxe utiliza arquivos com a extensão .sass e são da seguinte maneira:

/* style.sass */
h1
	color: #0982c1

Observação pessoal: Essa sintaxe não é por causa de ser mais antiga e sim pois no início o Sass era parte de um outro pré-processador chamado Haml criado por desenvolvedores Ruby, e por causa disso as folhas de estilo escritas com Sass utilizavam uma sintaxe como a do Ruby, sem chaves, ponto e vírgula e controlado por identação.

Stylus

A sintaxe para o Stylus é muito mais adaptável. Utiliza arquivos com extensão .styl, aceita a sintaxe padrão do CSS, porém também aceita algumas variações onde chaves, dois-pontos e ponto e vírgula são todos opcionais. Por exemplo:

/* style.styl */
h1 {
	color: #0982c1;
}
/* omitindo chaves */
h1
	color: #0982c1;

/* omitindo dois-pontos e ponto e vírgula
h1
	color: #0982c1

Utilizar diferentes variações em um mesmo arquivo também é válido, então o seguinte código seria compilado sem erros.

h1 {
	color #0982c1
}
h2
	font-size: 1.2em

Variáveis

Variáveis podem ser declaradas e usadas através das folhas de estilo. Elas podem ter qualquer valor que seja um valor em CSS (por exemplo: cores, números [unidades também], ou texto), e podem ser referenciadas em qualquer lugar das nossas folhas de estilo.

Sass

Variáveis em Sass tem seu nome começado o símbolo “$” e o nome e o seu valor são separados com dois-pontos, assim como uma propriedade CSS.

$mainColor: #0982c1;
$siteWidth: 1024px;
$borderStyle: dotted;

body {
	color: $mainColor;
	border: 1px $borderStyle $mainColor;
	max-width: $siteWidth;
}

LESS

Varíaves em LESS são praticamente iguais as variáveis no Sass, exceto por começarem seus nomes com o símbolo “@”.

@mainColor: #0982c1;
@siteWidth: 1024px;
@borderStyle: dotted;

body {
	color: @mainColor;
	border: 1px @borderStyle @mainColor;
	max-width: @siteWidth;
}

Stylus

Variáveis em Stylus não precisam começar com nenhum símbolo, porém ele permite a utilização do símbolo “$”. Como sempre, o ponto e vírgula para finalizar não é necessário, mas um sinal de igual entre o nome da variável e seu valor é. Uma coisa importante para se notar é que na versão 0.22.4 do Stylus variáveis com nome começados com o símbolo “@” são compiladas, porém não aplicam seu valor quando referenciadas. Em oturas palavras, não faça isso.

mainColor = #0982c1;
siteWidth = 1024px;
$borderStyle = dotted;

body
	color mainColor
	border 1px $borderStyle mainColor
	max-width siteWidth

CSS Compilado

Cada um dos arquivos acima irão compilar no mesmo CSS. Você pode usar sua imaginação para ver quão úteis variáveis podem ser. Não precisaremos mais ao mudar uma cor reescrever a mesma vinte vezes, ou querer mudar a largura de nosso site e ter de procurar por todo o site para fazer isso. Aqui está o CSS depois de compilado:

body {
	color: #0982c1;
	border: 1px dotted #0982c1;
	max-width: 1024px.
}

Aninhamento

Se precisarmos referenciar múltiplos elementos com o mesmo pai em nosso CSS, pode ser entediante ficar digitanto o pai toda vez.

section {
	margin: 10px;
}
section nav {
	height: 25px;
}
section nav a {
	color: #0982c1;
}
section nav a:hover {
	text-decoration: underline;
}

Ao invés disso, usando um pré-processador, podemos escrever os seletores filhos dentro das chaves do elemento pai. O símbolo “&” é usado para referenciar o seletor pai.

Sass, LESS e Stylus

Todos os três pré-processdores utilizam a mesma sintaxe para aninhar seletores.

section {
	margin: 10px;

	nav {
		height: 25px;

		a {
			color: #0982c1;

			&:hover {
				text-decoration: underline;
			}
		}
	}
}

CSS Compilado

Abaixo está o CSS compilado do código escrito acima. Está exatamente igual ao mostrado no começo – que conveniente!

section {
	margin: 10px;
}
section nav {
	height: 25px;
}
section nav a {
	color: #0982c1;
}
section nav a:hover {
	text-decoration: underline;
}

Mixins

Mixins são funções que permitem reusar propriedades através de nossas folhas de estilo. Ao invés de procurar por todas nossas folhas de estilo e mudar uma propriedade várias vezes, podemos apenas mudar dentro de nosso mixin. Isso pode ser realmente útil para estilização de elementos específicos e para “vendor prefixes” (moz-*, o-*, etc). Quando os mixins são chamados de dentro de um seletor CSS, os argumentos são reconhecidos e os estilos dentro do mixin são aplicados ao seletor.

Sass

/* Mixin em Sass chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
@mixin error($borderWidth: 2px) {
	border: $borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	@include error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	@include error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

LESS

/* Mixin em LESS chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
.error(@borderWidth: 2px) {
	border: @borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	.error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	.error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

Stylus

/* Mixin em Stylus chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
error(borderWidth = 2px) {
	border: borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

CSS Compilado

Todos pré-processadores irão compilar o mesmo código abaixo:

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	border: 2px solid #f00;
	color: #f00;
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	border: 5px solid #f00;
	color: #f00;
}

Herança

Quando estamos escrevendo CSS da velha maneira, nós usaríamos o seguinte código para aplicar o mesmo estilo para múltiplos elementos de uma só vez:

p,
u,
ol {
	/* estilos aqui */
}

Isso funciona perfeitamente, mas se depois precisássemos de estilizar os elementos individualmente, outro seletor deveria ser criado para cada um e rapidamente poderia ficar cada vez mais bagunçado e difícil de manter. Podemos utilizar herança para resolver isso. Herança é a habilidade de outros seletores CSS herdarem as propriedades de outro seletor.

Sass e Stylus

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}

p {
	@extend .block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	@extend .block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

CSS Compilado (Sass e Stylus)

.block, p, ul, ol {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
p {
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

LESS

LESS não tem suporte a herança de estilos como Sass e Stylus. Ao invés de adicionar diversos seletores para um grupo de propriedades, ele trata herança como um mixin sem argumentos e importa os estilos para dentro de seus próprios seletores. O problema disso é que propriedades são repetidas em sua folha de estilo compilada. Abaixo segue como deve-se utilizar:

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
 
p {
	.block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	.block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

Observação pessoal: Como mencionado nos comentários, o LESS tem suporte a herança e pode ser feita com a seguinte sintaxe:

p {
        &:extend(.block);
}

CSS Compilado (LESS)

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
p {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
	border: 1px solid #eee;
}
ul,
ol {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

Como você pode ver, os estilos do seletor .block foram inseridas nos seletores que queríamos aplicar a herança. É importante notar que a prioridade das propriedades pode se tornar um problema, então devemos ter bastante cautela.

Importação

Na comunidade CSs, importar CSS é visto com maus olhos por utilizar diversas chamadas HTTP. Importar com um pré-processador funciona de forma diferente no entanto. Se você importar um arquivo com qualquer um dos três pré-processadores, ele irá literalmente pegar todo o conteúdo do arquivo durante a importação e gerar apenas um arquivo. Lembre-se que arquivos .css comuns importados compilam com o código:

@import "file.css";

Lembre-se também que mixins e variáveis podem ser importadas e usadas em sua folha de estilo principal. Importação faz com que possamos criar arquivos separados para uma melhor organização.

Sass, LESS e Stylus

/* arquivo.{extensao} */
body {
	background: #eee;
}
@import "reset.css";
@import "arquivo.{extensao}";
 
p {
	background: #0982c1;
}

CSS Compilado

Introdução

->Pré-processadores produzem CSS que funciona em todos os browsers

Pré-processadores CSS3 são linguagens criadas com um único propósito de adicionar funcionalidades legais e criativas para o CSS sem quebrar a compatibilidade entre browsers. Eles fazem isso compilando o código que escrevemos em CSS puro que pode ser usado em qualquer browser de agora até a era das pedras. Os pré-processadores disponibilizam milhares de funcionalidades, e nesse artigo iremos falar sobre as mais utilizadas e conhecidas e algumas nem tanto conhecidas. Vamos começar

Sintaxe

A parte mais importante ao escrever códigos utilizando um pré-processador CSS é entender a sua sintaxe. Felizmente para nós, a sintaxe é (ou pode ser) idêntica à do CSS puro para os três pré-processadores.

Sass e LESS

Ambos utilizam o a sintaxe padrão do CSS. Isso faz com que seja extremamente fácil converter um arquivo CSS já existente para qualquer um deles. Sass utiliza arquivos com extensão .scss e LESS com extensão .less. Uma configuração básica de um arquivo Sass ou LESS pode ser como abaixo:

/* style.scss ou style.less */
h1 {
	color: #0982c1;
}

Como você pode ter notado, isso é apenas CSS puro, que compila perfeitamente em ambos pré-processadores (Sass e LESS).

É importante notar que Sass também tem uma sintaxe mais antiga, que omite ponto e vírgula e as chaves. Ainda pode ser usado, mas como é uma sintaxe antiga, não iremos utilizá-la depois deste exemplo. A sintaxe utiliza arquivos com a extensão .sass e são da seguinte maneira:

/* style.sass */
h1 {
	color: #0982c1;
}

Stylus

A sintaxe para o Stylus é muito mais adaptável. Utiliza arquivos com extensão .styl, aceita a sintaxe padrão do CSS, porém também aceita algumas variações onde chaves, dois-pontos e ponto e vírgula são todos opcionais. Por exemplo:

/* style.styl */
h1 {
	color: #0982c1;
}
/* omitindo chaves */
h1
	color: #0982c1;

/* omitindo dois-pontos e ponto e vírgula
h1
	color: #0982c1

Utilizar diferentes variações em um mesmo arquivo também é válido, então o seguinte código seria compilado sem erros.

h1 {
	color #0982c1
}
h2
	font-size: 1.2em

Variáveis

Variáveis podem ser declaradas e usadas através das folhas de estilo. Elas podem ter qualquer valor que seja um valor em CSS (por exemplo: cores, números [unidades também], ou texto), e podem ser referenciadas em qualquer lugar das nossas folhas de estilo.

Sass

Variáveis em Sass tem seu nome começado o símbolo “$” e o nome e o seu valor são separados com dois-pontos, assim como uma propriedade CSS.

$mainColor: #0982c1;
$siteWidth: 1024px;
$borderStyle: dotted;

body {
	color: $mainColor;
	border: 1px $borderStyle $mainColor;
	max-width: $siteWidth;
}

LESS

Varíaves em LESS são praticamente iguais as variáveis no Sass, exceto por começarem seus nomes com o símbolo “@”.

@mainColor: #0982c1;
@siteWidth: 1024px;
@borderStyle: dotted;

body {
	color: @mainColor;
	border: 1px @borderStyle @mainColor;
	max-width: @siteWidth;
}

Stylus

Variáveis em Stylus não precisam começar com nenhum símbolo, porém ele permite a utilização do símbolo “$”. Como sempre, o ponto e vírgula para finalizar não é necessário, mas um sinal de igual entre o nome da variável e seu valor é. Uma coisa importante para se notar é que na versão 0.22.4 do Stylus variáveis com nome começados com o símbolo “@” são compiladas, porém não aplicam seu valor quando referenciadas. Em oturas palavras, não faça isso.

mainColor = #0982c1;
siteWidth = 1024px;
$borderStyle = dotted;

body
	color mainColor
	border 1px $borderStyle mainColor
	max-width siteWidth

CSS Compilado

Cada um dos arquivos acima irão compilar no mesmo CSS. Você pode usar sua imaginação para ver quão úteis variáveis podem ser. Não precisaremos mais ao mudar uma cor reescrever a mesma vinte vezes, ou querer mudar a largura de nosso site e ter de procurar por todo o site para fazer isso. Aqui está o CSS depois de compilado:

body {
	color: #0982c1;
	border: 1px dotted #0982c1;
	max-width: 1024px.
}

Aninhamento

Se precisarmos referenciar múltiplos elementos com o mesmo pai em nosso CSS, pode ser entediante ficar digitanto o pai toda vez.

section {
	margin: 10px;
}
section nav {
	height: 25px;
}
section nav a {
	color: #0982c1;
}
section nav a:hover {
	text-decoration: underline;
}

Ao invés disso, usando um pré-processador, podemos escrever os seletores filhos dentro das chaves do elemento pai. O símbolo “&” é usado para referenciar o seletor pai.

Sass, LESS e Stylus

Todos os três pré-processdores utilizam a mesma sintaxe para aninhar seletores.

section {
	margin: 10px;

	nav {
		height: 25px;

		a {
			color: #0982c1;

			&:hover {
				text-decoration: underline;
			}
		}
	}
}

CSS Compilado

Abaixo está o CSS compilado do código escrito acima. Está exatamente igual ao mostrado no começo – que conveniente!

section {
	margin: 10px;
}
section nav {
	height: 25px;
}
section nav a {
	color: #0982c1;
}
section nav a:hover {
	text-decoration: underline;
}

Mixins

Mixins são funções que permitem reusar propriedades através de nossas folhas de estilo. Ao invés de procurar por todas nossas folhas de estilo e mudar uma propriedade várias vezes, podemos apenas mudar dentro de nosso mixin. Isso pode ser realmente útil para estilização de elementos específicos e para “vendor prefixes” (moz-*, o-*, etc). Quando os mixins são chamados de dentro de um seletor CSS, os argumentos são reconhecidos e os estilos dentro do mixin são aplicados ao seletor.

Sass

/* Mixin em Sass chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
@mixin error($borderWidth: 2px) {
	border: $borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	@include error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	@include error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

LESS

/* Mixin em LESS chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
.error(@borderWidth: 2px) {
	border: @borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	.error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	.error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

Stylus

/* Mixin em Stylus chamado error com argumento $borderWidth opcional, caso não seja fornecido, utiliza o valor padrão de 2px; */
error(borderWidth = 2px) {
	border: borderWidth solid #f00;
	color: #f00;
}

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	error(); /* Aplica estilos do mixin error */
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	error(5px); /* Aplica estilos do mixin error com argumento $borderWidth = 5px */
}

CSS Compilado

Todos pré-processadores irão compilar o mesmo código abaixo:

.generic-error {
	padding: 20px;
	margin: 4px;
	border: 2px solid #f00;
	color: #f00;
}
.login-error {
	left: 12px;
	position: absolute;
	top: 20px;
	border: 5px solid #f00;
	color: #f00;
}

Herança

Quando estamos escrevendo CSS da velha maneira, nós usaríamos o seguinte código para aplicar o mesmo estilo para múltiplos elementos de uma só vez:

p,
u,
ol {
	/* estilos aqui */
}

Isso funciona perfeitamente, mas se depois precisássemos de estilizar os elementos individualmente, outro seletor deveria ser criado para cada um e rapidamente poderia ficar cada vez mais bagunçado e difícil de manter. Podemos utilizar herança para resolver isso. Herança é a habilidade de outros seletores CSS herdarem as propriedades de outro seletor.

Sass e Stylus

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}

p {
	@extend .block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	@extend .block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

CSS Compilado (Sass e Stylus)

.block, p, ul, ol {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
p {
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

LESS

LESS não tem suporte a herança de estilos como Sass e Stylus. Ao invés de adicionar diversos seletores para um grupo de propriedades, ele trata herança como um mixin sem argumentos e importa os estilos para dentro de seus próprios seletores. O problema disso é que propriedades são repetidas em sua folha de estilo compilada. Abaixo segue como deve-se utilizar:

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
 
p {
	.block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	border: 1px solid #eee;
}
ul, ol {
	.block; /* Herda estilos do seletor '.block' */
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

CSS Compilado (LESS)

.block {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
}
p {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
	border: 1px solid #eee;
}
ul,
ol {
	margin: 10px 5px;
	padding: 2px;
	color: #333;
	text-transform: uppercase;
}

Como você pode ver, os estilos do seletor .block foram inseridas nos seletores que queríamos aplicar a herança. É importante notar que a prioridade das propriedades pode se tornar um problema, então devemos ter bastante cautela.

@import "reset.css";
body {
	background: #eee;
}
p {
	background: #0982c1;
}

Funções de Cores

Funções de cores são funções nativas que transformam uma cor por compilação. Podem ser extremamente úteis para criar gradientes, escurecer cores no “hover” de elementos e muito mais.

Sass

lighten($color, 10%); /* retorna uma cor 10% mais clara que $color */
darken($color, 10%);  /* retorna uma cor 10% mais escura $color */
 
saturate($color, 10%);   /* retorna uma cor 10% mais saturada que $color */
desaturate($color, 10%); /* retorna uma cor 10% menos saturada que $color */
 
grayscale($color);  /* retorna $color na escala de cinza */
complement($color); /* retorna cor complementar de $color */
invert($color);     /* retorna cor inversa de $color */
 
mix($color1, $color2, 50%); /* mistura $color1 com $color2 com um peso de 50% */

Essas é apenas uma pequena lista de funções de cores disponíveis no Sass. A lista completa das funções de cores disponíveis no Sass pode ser encontrada na documentação do Sass.

Funções de cores podem ser usadas em qualquer lugar que uma cor é válida no CSS. Veja um exemplo:

$color: #0982C1;
 
h1 {
	background: $color;
	border: 3px solid darken($color, 50%);
}

LESS

lighten(@color, 10%); /* retorna uma cor 10% mais clara que @color */
darken(@color, 10%);  /* retorna uma cor 10% mais escura @color */
 
saturate(@color, 10%);   /* retorna uma cor 10% mais saturada que @color */
desaturate(@color, 10%); /* retorna uma cor 10% menos saturada que @color */
 
spin(@color, 10); /* retorna uma cor 10 graus acima na matiz/tonalidade que @color */
spin(@color, -10); /* retorna uma cor 10 graus abaixo na matiz/tonalidade que @color */
 
mix(@color1, @color2); /* mistura @color1 com @color2 */

A lista de todas as funções disponíveis no LESS pode encontrada na documentação LESS.

Veja um exemplo de como usar uma função de cores no LESS:

@color: #0982C1;
 
h1 {
	background: @color;
	border: 3px solid darken(@color, 50%);
}

Stylus

lighten(color, 10%); /* retorna uma cor 10% mais clara que 'color' */
darken(color, 10%);  /* retorna uma cor 10% mais escura 'color' */
 
saturate(color, 10%);   /* retorna uma cor 10% mais saturada que 'color' */
desaturate(color, 10%); /* retorna uma cor 10% menos saturada que 'color' */

A lista completa de todas funções de cores disponíveis no Stylus pode ser encontrada na documentação Stylus.

Veja um exemplo de como usar uma função de cores no Stylus:

color = #0982C1
 
h1
	background color
	border 3px solid darken(color, 50%)

Operações

Fazer cálculos no CSS é bastante útil e agora totalmente possível. É bem simples e é dessa maneira que fazemos:

Sass, LESS e Stylus

body {
	margin: (14px/2);
	top: 50px + 100px;
	right: 100px - 50px;
	left: 10 * 10;
}

Aplicações Práticas

Nós falamos de diversas funcionalidades e novas coisas que pré-processadores podem fazer, mas não mostramos nada na prática ainda. Veja uma pequena lista de aplicações no mundo real em que um pré-processador é um salva-vidas.

Vendor Prefixes

Essa é uma das principais razões para se usar um pré-processador e por um motivo bom – economia gigante de tempo e lágrimas. Criar um mixin para cuidar dos vendor prefixes é fácil e nos salva de uma codificação repetitiva e dolorosa. Veja como fazer:

Sass

@mixin border-radius($values) {
	-webkit-border-radius: $values;
		-moz-border-radius: $values;
			border-radius: $values;
}
 
div {
	@include border-radius(10px);
}

LESS

.border-radius(@values) {
	-webkit-border-radius: @values;
		-moz-border-radius: @values;
			border-radius: @values;
}
 
div {
	.border-radius(10px);
}

Stylus

border-radius(values) {
	-webkit-border-radius: values;
		-moz-border-radius: values;
			border-radius: values;
}
 
div {
	border-radius(10px);
}

CSS Compilado

div {
	-webkit-border-radius: 10px;
		-moz-border-radius: 10px;
			border-radius: 10px;
}

Texto 3D

Simular um texto 3D utilizando diversos text-shadows é uma grande ideia. O único problema é que mudar a cor depois de criar é difícil e incômodo. Usando mixins e funções de cores, podemos criar um texto 3D e mudar sua cor sem nenhuma dificuldade.

Sass

@mixin text3d($color) {
	color: $color;
	text-shadow: 1px 1px 0px darken($color, 5%),
			2px 2px 0px darken($color, 10%),
			3px 3px 0px darken($color, 15%),
			4px 4px 0px darken($color, 20%),
			4px 4px 2px #000;
}
 
h1 {
	font-size: 32pt;
	@include text3d(#0982c1);
}

LESS

.text3d(@color) {
	color: @color;
	text-shadow: 1px 1px 0px darken(@color, 5%),
			2px 2px 0px darken(@color, 10%),
			3px 3px 0px darken(@color, 15%),
			4px 4px 0px darken(@color, 20%),
			4px 4px 2px #000;
}
 
span {
	font-size: 32pt;
	.text3d(#0982c1);
}

Stylus

text3d(color)
	color: color
	text-shadow: 1px 1px 0px darken(color, 5%), 2px 2px 0px darken(color, 10%), 3px 3px 0px darken(color, 15%), 4px 4px 0px darken(color, 20%), 4px 4px 2px #000
span
	font-size: 32pt
	text3d(#0982c1)

Escolhi escrever os “text-shadows” do Stylus em apenas uma linha pois omiti as chaves.

CSS Compilado

span {
	font-size: 32pt;
	color: #0982c1;
	text-shadow: 1px 1px 0px #097bb7, 
			2px 2px 0px #0875ae, 
			3px 3px 0px #086fa4, 
			4px 4px 0px #07689a, 
			4px 4px 2px #000;
}

Resultado Final

Texto 3D

Colunas

Usar operações numéricas e variáveis para colunas é uma ideia que tive da primeira vez que estava brincando com pré-processadores CSS. Declarando a largura desejada em uma variável, podemos facilmente alterá-la sem precisar de nenhum cálculo mental. Veja como fazer:

Sass

$siteWidth: 1024px;
$gutterWidth: 20px;
$sidebarWidth: 300px;
 
body {
	margin: 0 auto;
	width: $siteWidth;
}
.content {
	float: left;
	width: $siteWidth - ($sidebarWidth+$gutterWidth);
}
.sidebar {
	float: left;
	margin-left: $gutterWidth;
	width: $sidebarWidth;
}

LESS

@siteWidth: 1024px;
@gutterWidth: 20px;
@sidebarWidth: 300px;
 
body {
	margin: 0 auto;
	width: @siteWidth;
}
.content {
	float: left;
	width: @siteWidth - (@sidebarWidth+@gutterWidth);
}
.sidebar {
	float: left;
	margin-left: @gutterWidth;
	width: @sidebarWidth;
}

Stylus

siteWidth = 1024px;
gutterWidth = 20px;
sidebarWidth = 300px;
 
body {
	margin: 0 auto;
	width: siteWidth;
}
.content {
	float: left;
	width: siteWidth - (sidebarWidth+gutterWidth);
}
.sidebar {
	float: left;
	margin-left: gutterWidth;
	width: sidebarWidth;
}

CSS Compilado

body {
	margin: 0 auto;
	width: 1024px;
}
.content {
	float: left;
	width: 704px;
}
.sidebar {
	float: left;
	margin-left: 20px;
	width: 300px;
}

Peculiaridades Notáveis

Existem algumas peculiaridades ao usar um pré-processador CSS. Irei falar de algumas engraçadas, mas se você está realmente interessado em encontrar todas elas eu recomendo você vasculhar toda a documentação, ou melhor, começar a usar um pré-processador na sua codificação diária.

Relatório de Erros

Se você já escreveu CSS por uma boa quantia de tempo, tenho certeza que você já chegou a um ponto onde você tinha um erro em algum lugar e simplesmente não conseguia o encontrar. Se você é como eu, provavelmente passou a tarde toda arrancando os cabelos fora e comentando diversas coisas para caçar o erro.

Pré-processadores CSS relatam os erros. Simples assim. Se tem alguma coisa errada em seu códigom ele te fala onde e, se você estiver com sorte até mesmo o porquê. Você pode dar uma olhada nesse post caso esteja interessado em ver como os erros são relatados em diferentes pré-processadores.

Comentários

Quando um pré-processador CSS está compilando, qualquer comentário escrito com barras duplas “//” é excluído e qualquer comentários escrito com barra e asterisco “/* */” não é alterado. Dito isso, use comentários com barras duplas para comentários que você queira na versão não compilada e comentários com barra e asterisco para comentários que serão visíveis após a compilação.

Observação: Se você compilar os arquivos, minificando-os, todos comentários são excluídos.

Conclusão

Cada um dos pré-processadores que falamos (Sass, LESS e Stylus) possui um modo único de realizar a mesma tarefa – dando a nós desenvolvedor a habilidade de usar funcionalidades úteis mantendo a compatibilidade entre browsers e um código limpo.

Mesmo não sendo uma exigência para o desenvolvimento, pré-processadores podem economizar muito tempo e tem funcionalidades bastante úteis.

Eu aconselho todos vocês a utilizar e testar a maior quantidade de pré-processadores possível, pois assim você poderá escolher efetivamente um favorito e saber o porquê ele é seu favorito dentre tantos outros. Se você ainda não testou usar nenhum pré-processador para escrever seu CSS, eu recomendo grandemente a você testar.

Você tem alguma funcionalidade de seu pré-processador favorito que não foi mencionada? Há algo que algum pré-processador possa fazer e outros não? Conte-nos nos comentários abaixo!

Traduzido e adaptado de: http://code.tutsplus.com/tutorials/sass-vs-less-vs-stylus-preprocessor-shootout–net-24320

Publicado no dia