patrocínio:

Por que todo desenvolvedor deveria aprender design?

Afinal, todo o time de desenvolvimento está diretamente ligado com pontos chave na experiência do usuário.

por Guilherme Costa 04/07/2018 Comentários ~ 5 min. / 945 palavras

Equipe toda reunida para validação e deploy das novas features desenhadas para o projeto, quando a janela do browser poppa, o coração do time de criação se parte: está tudo diferente do que foi produzido por eles. E então, começa a guerra. “Mas aquilo não era aplicável!”, “Mas é uma diferença de nada no tamanho!”, “Se você tivesse mandado o arquivo organizado pelo menos!”, “Assim era mais rápido! Não precisa de tanta firula”. O que era pra ser uma confraternização de um ciclo fechado, vira uma guerra. E ninguém se salvará.

Te soa familiar? Você não está sozinho. Mas vem comigo que dá pra melhorarmos isso.


Só pra não perder o costume, a recomendação musical da vez fica por conta da banda norte-irlandesa Two Door Cinema Club. Os caras já são figura carimbada na cena indie mundial, mas como o timing é perfeito com o lançamento de seu mais novo álbum Gameshow e com a vinda para o Brasil no domingo para participar do Lollapalooza, deixo de presente essa apresentação maravilhosa que eles fizeram para lançar o álbum. Se você não conhecia, ouça, e ouça muito!

A banda já contava com dois grandes álbuns: Tourist History e Beacon, mas que são muito parecidos em forma. Gameshow resgata toda a nostalgia da música pop dançante dos anos 80, de sua capa até seus arranjos e falsetes empregados por Alex Trimble.


Já é lugar comum o discurso de que “todo designer deveria aprender a programar”, mas muito pouco se fala do caminho inverso, e hoje venho trazer uma perspectiva diferente do assunto: os principais motivos para todo desenvolvedor (é, inclusive você aí do Back End) aprender design. Afinal, todo o time de desenvolvimento está diretamente ligado com pontos chave na experiência do usuário (sim, a famigerada UX, que, se você não faz ideia de que estou falando, precisa mesmo ler esse texto até o final).

Criar soluções melhores

Via de regra, os projetos que trabalhamos nascem para atender necessidades de um público-alvo, que pode ser desde um app para auxiliar no controle financeiro até o gerenciamento e acompanhamento de fichas médicas.

Entender como atender essas necessidades é o que faz um projeto ser bem sucedido, e você como desenvolvedor tem uma bagagem inestimável para trazer à mesa desde o início da concepção de um produto.

Saber como os usuários se comportam e o que esperam te dará maior poder na hora de pensar suas soluções, e quando você menos perceber vai estar falando a mesma língua que seu designer e entender o porquê de ele reclamar que aquele menu quebrou em duas linhas ou que aquela ação poderia ter menos cliques para acontecer.

Entender as necessidades do seu usuário não compete somente ao time de criação, deixar essa tarefa somente à cargo do designer é limitar o projeto à um único prisma.

Então sim, você como desenvolvedor deveria se envolver no projeto desde o entendimento do briefing até os primeiros rascunhos advindos de um brainstorm.

Ter mais agilidade nas tarefas diárias

Você precisa mesmo abrir um “chamado técnico” para o time de criação para pegar um recorte de uma imagem ou saber qual o código hexadecimal (ou hsl, ou rgba, ou whatever) daquela cor que será inserida no projeto?

Isso definitivamente não é produtivo, e por mais que gostaríamos que tudo viesse mastigadinho para nós, essa não é a realidade do dia a dia de um time de criação/tech.

Saber se virar em pequenos problemas do dia a dia reduzirá a carga inútil na equipe de criação, te dará maior autonomia e agilidade em suas entregas.

Ser mais feliz no trabalho

Parece que não, mas entender que quando o seu designer te pede para alterar alguma coisa que pra você parece perfeitamente ok não significa que ele é mesquinho e quer destruir sua vida, mas sim porque ele está pensando no sucesso do produto e colocando uma expectativa de que as coisas saiam como o planejado vai te fazer trabalhar muito mais feliz.

Nosso trabalho costuma ser o local em que passamos o maior tempo do nosso dia, então conviver bem com as pessoas que colaboram com você é o mínimo que você pode fazer por sua saúde mental. Sério.


“Ok, ok. Você me convenceu. Mas por onde que eu começo, Guilherme?”

Ora, não seja por isso, preparei um roteiro básico pra quem quer entender um pouco mais sobre design:

Hack Design

Um curso que chega semanalmente pra você por email que aborda todos os pontos do design desde o princípio, e totalmente grátis. Parece bom demais pra ser verdade, não é mesmo? Basta se inscrever e aproveitar.

Alguns livros

Abaixo listarei alguns livros que acredito serem um bom pontapé inicial, mas não é exatamente obrigatório sua leitura, buscar conhecimento na web já ajuda e muito.

  1. Não me faça pensar”, de Steve Krug;
  2. Design de navegação web”, de James Kalbach;
  3. Psicodinâmica das cores em comunicação”, de Modesto Farina, Clotilde Peres e Dorinho Bastos;
  4. Pensar com tipos”, de Ellen Lupton;
  5. UX fundamentals: interaction design”, de Lana Miller;

Leia também

Abaixo alguns artigos que podem servir de guideline para você, além de reforçar o que já foi dito por aqui, aproveite!

  1. 10 design concepts that every web developer needs to know
  2. The core principles of UI design - InVision Blog
  3. Os Princípios de UX para Aplicativos em Dispositivos Móveis

Espero que eu tenha conseguido te convencer com esses pontos e que as dicas possam te ajudar, mas se não foi o suficiente, que tal batermos um papo nos comentários? Você também pode me contar sobre como foi experimentar aprender um pouco de design e qual foi o impacto no seu trabalho!

Por hoje é isso, e vamos codar! ;D

Agradecemos o patrocínio da empresa por nos ajudar a manter o site, sempre cuidando para que possamos publicar conteúdo de qualidade para a comunidade.